Consciência generosa

Publicado por: Milu  :  Categoria: Consciência generosa, PARA PENSAR

original

“Tudo o que o Homem consegue ou deixa de conseguir é o resultado directo dos seus pensamentos.”

 James Allen

“Você pode não ter dinheiro, mas se for rico em bom senso, será um pai ou uma mãe brilhante. Se você contagiar os seus filhos com os seus sonhos e entusiasmo, a vida será enaltecida. Se for um especialista em queixar-se, se mostrar medo da vida, temor pelo amanhã, preocupações excessivas com doenças, paralisará a inteligência e a emoção deles.

Sabe quanto tempo demora um conflito psíquico, sem tratamento e sem fundo genético, a ter remissão espontânea? Às vezes, três gerações. Por exemplo, se um pai tem uma obsessão por doenças, um dos filhos poderá registar essa obsessão continuamente e reproduzi-la. O neto poderá tê-la com menor intensidade. Somente o bisneto poderá ficar livre dela. Quem estuda os papéis da memória conhece a gravidade do processo de transmissão das mazelas psíquicas.

Mostre força e segurança aos seus filhos. Diga-lhes frequentemente:

“A verdadeira liberdade está dentro de ti”,

“Não sejas frágil diante das tuas preocupações”,

“Opta por seres livre! Cada sentimento negativo deve ser combatido, para não ser registado”.

O verdadeiro optimismo é construído pelo confronto dos problemas e não pela sua negação. Por isso, as palestras de motivação raramente resultam. Elas não dão ferramentas para gerar um optimismo sólido, que nutre  o “eu” como líder do teatro da inteligência.

(…).

De acordo com pesquisas em universidades americanas, uma pessoa optimista tem menos 30% de hipóteses de ter doenças cardíacas. Os optimistas têm menos hipóteses ainda de ter doenças emocionais e psicossomáticas.

O pessimismo é o cancro da alma. Muitos pais são vendedores de pessimismo. Já não basta o lixo social que os media depositam no palco da mente dos jovens, muitos pais transmitem-lhes um futuro sombrio. Tudo é difícil e perigoso para eles. Preparam os filhos para temer a vida, fechar-se num casulo, viver sem poesia.

Alimente os seus filhos com um optimismo sólido!

Não devemos formar super-homens, como preconizava Nietzsche. Os pais brilhantes não formam heróis, mas seres humanos que conhecem os seus limites e a sua força.”

 

 

Bibliografia:

CURY, Augusto. (2012). Pais Brilhantes, Professores Fascinantes. Pergaminho. 3ª edição. pp. 31-32

Adicionar Comentario